sábado, 30 de setembro de 2017

INTRARAIL: Um dia em Aveiro


Alo!

Para última paragem da nossa aventura escolhemos: Aveiro, a Veneza Portuguesa! Todas nós gostámos muito desta cidade e tivémos pena que a energia fosse escassa e o tempo também, mas o que interessa é que fizemos o essencial e vou tentar transmitir-vos a beleza e harmonia desta cidade. 



INTRARAIL: Dia 6 (continuação)


Chegámos a Aveiro pelas 18:00 e logo deixámos as mochilas na pousada da Juventude, uma vez que decidimos que na última paragem do percuso faríamos uma saída à grande, para dançarmos pela noite dentro. Dito e feito! Depois de nos arranjarmos, saímos da pousada em direção à Praça do Peixe, uma zona junto à Ria e no centro de Aveiro, muito animada, cheia de gente, com bons restaurantes e alguns disco-bares, ideal para um jantar seguido de uma saída à noite!



Jantámos um peixinho grelhado no restaurante O Telheiro, localizado nesta praça e aconselho vivamente!! Ficámos super satisfeitas com o serviço, com o peixe e com as sobremesas que deixaram água na boca logo que chegaram à mesa. A refeição teve um custo de cerca de 15€ com bebida, prato e sobremesa.

De seguida, fomos sair para o Bar Dokk no qual ficámos até fechar (4:00), o Bar era porreiro, mas o Dj daquele dia desiludiu um pouco pela monotonia e falta de originalidade (SHAME!). Neste ponto da saída tivémos azar, uma vez que a discoteca de Verão de Aveiro fechara na semana anterior e a discoteca de Inverno só abria na semana seguinte, com a chegada dos alunos à Universidade. Em geral, foi uma boa noite, cheia de animação como se espera de uma saída com as miúdas mais animadas e propícias a um passinho de dança.

A pousada da Juventude não é longe do centro de Aveiro, nem da estação de comboios, por isso deslocámo-nos sempre a pé dos locais para a pousada, e vice-versa.


INTRARAIL: Dia 7


No dia seguinte saímos tarde da pousada da Juventude e penso que não é preciso referir o porquê de nos termos deixado dormir. Este foi o último dia da nossa viagem e, mesmo BASTANTE cansadas, fizemos o máximo que a nossa condição permitia!

Então, neste último dia de intrarail visitámos o Polo da Universidade de Aveiro, que me fez lembrar o Polo Universitário da Cidade Universitária, em Lisboa, mas mais pequeno e coerente em termos de estrutura e design dos edifícios, ou seja, em Aveiro, diferentes faculdades são cediadas em edifícios bastante idênticos entre si.




Passeámos pelos parques mais conhecidos na capital portuguesa do amor - Parque Infante Dom Pedro (Parque da Cidade) e Parque de Santo António - surpreenderam-nos bastante pela positiva e, apesar de não ter sido o caso, aparentam ser ótimos para uma saída romântica com um picnic, pelo menos estavam cheios de casais a usufruir dos últimos dias de Verão.







Ao cimo do Parque de Santo António, nas proximidades do bar do Clube de Ténis, encontrasse o Centro de Ciência Viva, que visitámos e nos proporcionou momentos de diversão ligados a ciência e tecnologia: fizemos esfoliante natural e programámos robôs, e devo esta última atividade  foi particularmente desafiadora para todas nós.






De seguida, passámos pelo Museu de Aveiro e por fim descemos pelo Fórum de Aveiro até a Ria, já perto do final da tarde. Nesta fizemos o TÃO desejado passeio de moliceiro, no qual deambulámos pelas águas paradas desde as docas à zona mais moderna e cara da cidade, que fica perto do novo Monumento do Ovo Mole e da ancestral Fábrica Jerónimo Pereira Campos.










Durante o passeio, passámos pela ponte mais antiga de Aveiro - a Ponte de Carcavelos, também conhecida como Ponte dos Namorados -, a única que em tempos servia para a travessia da Ria de Aveiro, antes em madeira, e pela ponte das fitinhas coloridas - a Ponte dos Laços de Amizade - que antes tinha cadeados, mas que como o peso era tanto caiu e quando foi reconstruída as pessoas passaram a colocar fitas. Além disto, aconselharam-nos os restaurantes das docas para uma próxima vez, pois são mais baratos e bons. 






Com este magnifico passeio a nossa aventura chegou ao fim, reconfortámos as barriguinhas comprámos as bem-ditas caixas de ovos moles e voltámos para o conforto do lar!



Espero que tenham gostado de nos acompanhar na nossa aventura, eu adorei partilhá-la com vocês! 


Deixo-vos ainda com um esquema do roteiro que escolhemos, com as várias paragens do intrarail e um quadro com uma apreciação superficial das pousadas, pois, como devem calcular, não passámos muito tempo entre quatro paredes. Isto para quem queira dar sola aos sapatos e andar por terras Lusas, ao abrigo do XPLORE da MoviJovem.

Roteiro

Pousadas da Juventude






xoxo,
Lua